Institucional
Sobre a Unimed
Tamanho da letra - +
Página Inicial | Institucional | Sobre a Unimed

Cooperativismo

As grandes tendências mundiais que permeiam o processo de globalização da economia exigem alternativas de organização da sociedade civil. A realidade do trabalho e seus vínculos com os aspectos sociais, políticos, econômicos e educacionais apresentam incertezas e desafios que só podem ser superados mediante a participação efetiva das pessoas na busca de alternativas economicamente viáveis, tecnicamente exequíveis e socialmente desejáveis.

Decorridos 168 anos desde a criação da primeira cooperativa, em Rochdale, na Inglaterra, o segmento é visto atualmente como uma das formas mais avançadas de organização da sociedade. Segundo dados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o setor cooperativo reúne hoje 1 bilhão de pessoas em mais de 100 países e responde pela geração de mais de 100 milhões de empregos.

Uma forma de organização que tem como diferencial promover o desenvolvimento econômico e o bem-estar social, simultaneamente. Baseado na união de pessoas, sendo este o seu maior capital, o cooperativismo é um modelo socioeconômico com referenciais de participação democrática, solidariedade, independência e autonomia, que busca a prosperidade conjunta e não a individual. Por sua natureza e particularidades, alia o economicamente viável ao socialmente justo.

Historicamente, essa forma de organização socioeconômica de administração autogestionada trouxe respostas para a geração de empregos e redistribuição de renda. As possibilidades de aplicação das ideias cooperativistas são ilimitadas e podem tornar-se contribuições fundamentais para a transformação das relações de trabalho e melhoria da qualidade de vida da população. As cooperativas representam, assim, a possibilidade de superar dificuldades em torno de necessidades e objetivos comuns à classe trabalhadora, de diferentes categorias profissionais.

Os princípios do Cooperativismo

  • Adesão voluntária e livre;
  • Gestão democrática e livre;
  • Participação econômica dos membros;
  • Autonomia e Independência;
  • Educação, formação e informação;
  • Intercooperação;
  • Interesse pela comunidade.